A CÁRIE E SUAS CONSEQUÊNCIAS

NOTA: Foi mantida a ortografia da época

"HYGIENE DENTARIA"

Dr.Ascendino Lopes Pereira

ESCRITO EDITADO EM ABRIL DE 1928.(*)

"Tudo pois, quanto entre nós se emprehenda,
no intuito de debellar o mal, será para nós profissionais,
mais do que o simples cumprimento de um dever,
porque será simultaneamente um verdadeiro acto
de patriotismo e de humanidade."

CHAPOT PRÉVOST


(*) Nota do Editor: Suponho que este seja um dos trabalhos pioneiros, editados no Brasil, preocupados com a prenvenção em odontologia. A respeito, estou consultando o Dr. Milton Souza, Mestre em Saúde Pública, um hos homens mais eruditos que conheço dentro da odontologia brasileira.

A importancia da hygiene dentaria na saude

Cuidar dos dentes significa preservar o organismo de grande numero de molestias

Por certo que é lamentavel o deconhecimento quasi completo que, entre nós, se observa em relação á hygiene dentaria, como factor preponderante no desenvolvimento dos phenomenos physiologicos, de cuja harmonia, regida pela digestão, depende a saude. E'.em torno dessa importante funcção digestiva que, no-organismo, todas as outras evoluem. Não se pòde, portanto, gozar saude sem que para isso se disponha de um perfeito apparelho gastro-intestinal e, consequentemente, uma boa dentadura. Esse pouco caso a respeito dos dentes, elementos primordiaes daquella funcção é, porèm, justificavel, pois a falta de ensinamentos hygiénicos e de demonstrações da utilidade desses orgãos é facto observado em nosso paiz. Estamos numa éra de progresso. Já é tempo de, nas nossas escolas, ensinarmos às crianças os rudimentos da hygiene bucco-dentaria. Nós, profissionaes, sabemos perfeitamente que a maioria das pessoas trata os dentes unicamente em virtude de razões de esthetica ou levadas por nocturna odontalgia. E sendo essas as causas principaes que as encaminham ao tratamento da carie, temos.de ficar assombrados quando encaramos a hygiene dentaria no periodo infantil. A diminuta frequencia de crianças nos gabinetes dentarios significa apenas -- digamos o termo exacto - desleixo da parte de quem compete zelar-lhes a saude, cuja ignorancia ou inconsciencia ou falsa economia mais tarde vae produzir desastrosos effeitos na saude dos filhos. Ha coitaditos que passam horas, dias e mesmo semanas dominados por soffrimentos atrozes, com as terríveis dores de dentes. E, para mitigar-lhes a dôr, applicam-lhes inconscientemente os mais variados medicamentos, as mais complicadas benzeduras, sem entretanto, lembrar-se do dentista o unico capaz de, em poucos momentos, eliminar aquelle soffrimento, quer acalmando a dôr na applicação conscienciosa de um calmante, quer extrahindo o dente, quando jà imprestavel. Os dentes de leite ou "dentes que mudam", como vulgarmente os chamam, não exigem cuidados de dentista - é o que dizem aquelles que erradamente assim pensando e agindo, preparam nos seus filhinhos o terreno para o futuro dispeptico ou neurasthenico. E a razão é simples, é clara : a criança com os dentes cariados e doloridos, quasi sempre deglute sem mastigar; as odontalgias constantes trazem aos petizes noites de irritação e de insomnia, resultando dahi alterações digestivas, e enfraquecimento do systema. Os dentes são de importancia tão capital que entre 5 a 8 mezes de idade já começam a despontar os primeiros incisivos. E é na época em que a criança começa a mastigar, que se deve iniciar a vigilancia hygienica. O uso da escova será então permittido, quando ella por si mèsmo possa maneja-la, sendo entretanto fiscalisada, nesses cuidados, até a idade de 6 ou 8 annos. Muitas vezes os enfraquecimentos da saude geral são acompanhados por modificações no tecido dentario, evidenciando-se assim que entre os dentes e o resto do organismo ha trocas permanentes e reciprocas, jà cabalmente provadas em estudos e observações no trabalho das glandulas internas. O enfraquecimento dos dentes é devido á perda do calcio, nas molestias infecciosas, nas grandes convalescenças, na alimentação inadequada, etc. E, quando isso se dá, para conseguirmos a normalização do equilibrio organico, torna-se então necessario um regime apropriado ou ainda o emprego do calcio, mediante prescripção medica. "O calcio necessario ao organismo é encontrado sob duas formas: uma fixada nos tecidos solidos; a outra nos tecidos líquidos do mesmo. Esta ultima existe sempre numa certa porcentagem no organismo são, e ella é que se fixa nos tecidos no período do crescimento, mas se por qualquer motivo a quantidade normal do calcio dos tecidos liquidos faltar ou decrescer, a quantidade fixada nos tecidos solidos é que vae se dissolver naquelles para conservar a taxa normal, isto é, os ossos e os dentes têm que fornecer uma certa quantidade de calcio aos tecidos líquidos" CHAPOT PRÈVOST. O tratamento pelo calcio, que pertence á moderna therapeutica, está com sua acção exuberantemente provada no desenvolvimento dos dentes. Estes se tornam refractarios á carie quando se consegue a fixação real desse medicamento. O tecido dentario torna-se resistente e o esmalte apresenta um brilho mais vivo, facto este notado pelos proprios doentes. E a carie dentaria, mal que está grandemente espalhado no nosso povo (80% ou mais), seria extraordinariamente diminuida se o tratamento pelo calcio se tornasse mais intenso e mais popular, sendo então desse modo um poderoso auxiliar da hygiene. O dente è um orgão utilissimo e portanto, quando affectado, é absolutamente necessario tratal-o. Unia carie, julgada insignificantè, pòde pelas vias sanguíneas ou lymphaticas fazer modificações sensiveis no organismo, prejudicando grandemente a saude. Ninguem escapa ás infecções metastasicas. Roger, diz que não ha molestia que fique local. As perturbações podem ser localisadas no começo por um exame superficial; parecerá que ellas occupem uma parte limitada do organismo. Mas, na realidade é a inteira economia que se resente com esses estados pathologicos. As reacções provocadas estão mais ou menos encobertas e às vezes mesmo imperceptiveis. Não existem, pelo menos, na apparencia. E o que escreve o autor acima na sua "Introduction à l'ètude de Mèdicine" applica-se aos dentes, orgãos de indiscutível importancia no apparelho digestivo. Deste modo a carie dentaria, focos permanentes de infecção, além de, muitas vezes estender a acção aos outros orgãos, deixa a bocca em estado anti-hygienico e nestas condições os alimentos são insufficientemente mastigados, intoxicados indo actuar no estomago como verdadeiros corpos estranhos e nocivos, prejudicando esse orgão que alterado na sua função, soffre constantemente as consequencias quasi sempre graves de uma infecção intestinal. Estes inconvenientes, bem damnosos para o individuo, podem ser evitados; basta um pouco de interesse na facilima hygiene da bocca, que consiste na limpeza diaria e tratamento dos dentes affectados. Para a boa mastigação, portanto, é preciso ter uma dentadura integral e a bocca perfeitamente aseptica, quer obturando os dentes, quando atacados pela carie, quer substituindo por outros artificiaes os que estiverem inutilisados ou appellando-se mesmo para uma dentadura completa e anatomica, quando a bocca assim o exigir. O que jamais se deve esquecer è que os dente influem no bem estar geral e por consequencia no prolongamento da vida. O velho sabio russo Metchìnikoff provou que a vida é extraordinariamente encurtada por vicios de alimentação, sendo a velhice o producto de uma infecção intestinal chronica. E' assim que, concluindo do acima exposto, ser a carie dos dentes, fonte de muitas doenças, simples ou graves, collecionamos as observações clínicas, estudos e conselhos que abaixo estampamos, onde o leitor, melhores, mais amplos e autorizados esclarecimentos encontrará a resperto desse factor etiologico que no dizer de William Osler, concorre mais para a degenerescencia da raça humana do que o proprio alcool. -MENS SANA IN CORPORE SANO- é uma maxima tão sabia que a qualquer convence a sua positiva affirmação. Cuidemos do organismo, cuidemos dos dentes para que cada um de nós se realize a sua axiomatica verdade.

Dr. ASCENDINO LOPES PEREIRA
Cirurgião-dentista.

DENTES DOS SEIS ANNOS

Publica a "Resenha Mensal S. S. White", do Rio de Janeiro, N°s. 28-29, as seguintes linhas, sob o titulo acima: "Em geral os paes confundem o dente que rompe aos seis annos de idade, em seus filhos, com os dentes temporarios, com os dentes de leite, resultando, desse equivoco, damnos consideraveis para as crianças. O dente dos seis annos é o "primeiro grosso molar permanente" - insubstituivel - que tem de servir de guia ao bom alinhamento (e, portanto, ao bom funccionamento) dos demais dentes que terão de trabalhar diariamente e por toda a vida, para seu portador, no afan de preparar devidamente o "bolo alimentar", o combustível admiravel que é, por assim dizer a propria vida. E' uma excepção rara, comquanto exista, um individuo com máos dentes ter boa saude, assim como só excepcionalmente encontra-se uma pessôa com dentadura perfeita, completa, e que não seja fórte e sadia. O mào alinhamento dos dentes é causa de sua alteração precoce. Uma condição indispensavel à duração dos dentes è a sua boa conjugação isto è, o perfeito engrenamento dos superiores com os inferiores. Tal como succede com uma machina, cujas peças não se ajustem devidamente, os dentes que não se conjuguem precisamente, gastar-se-ão depressa, ficarão abalados e em torno das raizes se installará com muita frequencia a terrivel pyorrhéa alveolar que obrigará a um laborioso tratamento ou à perda de todos os dentes. O desalinhamento das arcadas, além disso, torna precaria a esthetica facial e em muitos casos prejudica a phonação e até a audição. Pois bem, a causa mais frequente do desalinhamento dos dentes, é a pèrda precoce do molar dos seis annos. Não é, porém, somente o mal que resulta para os outros dentes, o que ha a temer do descaso no tratamento do primeiro grosso molar: ter-se-á, tambem, que lamentar a perda delle proprio já por si só prejudicialissima. E lembrar-se alguem que o ponto de partida de todo esse cortejo de males està simplesmente na confusão tão facil de evitar, que os paes fazem entre os dentes dos seis annos e os dentes de leite. E', como dissemos, facil distinguil-os dos demais: contando-se os dentes da criança, do meio da arcada para traz, para a esquerda ou para a direita, em baixo ou em cima, o sexto dente é o molar dos seis annos, é o primeiro grosso molar, é o dente balisa. Desde que a criança attinge os 5 annos devem os paes ficar na espectativa do apparecimento dos primeiros grossos molares (no total de 4) e uma vez feita a erupção mantel-os sob vigilancia e á menor suspeita de ataque a elle, soccorrer-se do Dentista. Uma obtliração no inicio da carie é feita rapidamente, sem dôr e com pequeno dispendio. A rigor, mesmo não havendo suspeita de carie nesses dentes, as crianças que os tenham deveriam ser mostradas ao Dentista para se verificar si a erupção se fez, ou não, normalmente e si elles exigem algum trabalho correctivo. O verdadeiro espirito preventivo aconselha que se vá, mesmo além: que se mostre a criança ao Dentistá aos 4 e meio annos, para que elle verifique si a erupção irá se fazer normalmente ou não, e, neste caso, empregar os meios correctivos precoces."


"A vigilancia materna deve estar sempre disperta para que a saude da criança esteja sempre em equilibrío, zelando sempre o bom estado dos dentes e a respiração normal de noite e de dia. 0 somno com a repiraçao buccal é desagradavel e a criança só por habito ou por uma impossibilidade mecanica é levada a esse genero de respiração que deve ser corrigido quanto antes para o conforto e o desenvolvimento da criança. Não passa aqui o cuidado materno, a criança é muito sujeita a habitos por si mesma adquiridos, ou impingidos pelas pessoas encarregadas de vigial-as. As anti-hygienicas chupetas de borracha ou de panno que além de portadoras de germens exercem uma pressão constante nos maxillares, deformando-os e impossibilitando a articulação normal. O habito de chupar os dedos ou até o proprio berço, o sestro que algumas crianças têm de morder os labios ou a língua, todos esses defeitos são altamente prejudiciaes à conformação dos maxillares. Ha quem julgue que a pressão exercida nesses variados defeitos é pequena e incapaz de desorganizar a bocca: a pressão é muito maior do que se imagina e a sua constancia acaba por deformar os ossos tão tenros. Qual de nós, ainda não experimentou a separação que produz entre dois dentes uma bolinha de algodão comprimido ? A saliva humedece o algodão que augmentando de volume em poucas horas, determina uma consideravel separação. Que diremos, então, de uma força que se exerce durante mezes e annos nos delicados maxillares! A criança sadia, bem alimentada não tem necessidade de adquirir esses maus habitos impostos por mal comprehendida commodidade. DR. CARLOS LUSTOSA- CIRURGIÃO DENTISTA. O grande pediatra R. Chapot Prèvost, doutor em Odontologia e em Sciencias Medico-Cirurgicas, Professor de Technica Odontologica na Faculdade de Odontologia da Universidade do Rio de Janeiro, referindo-se aos dentes das crianças diz: " O primeiro molar permanente é a mais preciosa perola do mundo e deverá ser defendido e protegido com mais ardor, apego e carinho, do que os que consagramos às perolas mais famosas que conhecemos. lrrompendo aos seis annos approximadamente, o primeiro molar póde ser considerado o mais valioso e indispensavel dente da segunda odontiase permanente, porque dos 6 annos aos 12, é o principal agente da mastigação e se fôr negligenciado durante este periodo, facilmente poderá ficar em taes condições que. deva ser sacrificado". E mais adiante diz o eminente scientista brasileiro: "o primeiro molar permanente é o esteio principal junto ao qual os outros dentes porfiam em tomar sua posição normal na arcada. As principaes razões pelas quaes são prementes o tratamento e a odontoplerose dos orgãos da primeira odontiase são: a) Prevenir a odontalgia; b) Assegurar confortavel superficie de mastigação; c) Evitar condições infectuosas e toxicas do meio buccal; d) Evitar má occlusão; e) Proteger a integridade do primeiro molar permanente, que è a mais valiosa perola do mundo, repetimos muito de proposito. Logicamente concluimos que todos estes motivos são reforçados ao considerarmos o primeiro molar permanente. Pouca attenção é, em geral, dispensada aos soffrimentos da criança. E' um dos motivos pelos quaes tão grande percentagem de adultos se inferioriza no perfeito paradigma da saude e na resistencia normal ás doenças e este facto é evidenciado, com grande vehemencia, pelos soffrimentos accarretados pelos primeiros molares permanentes cariados e apresentando complicações pulpares. A dôr, as condições sépticas e a mastigação imperfeita e consequente defeituoso anabolismo, accarretando, primeiro as indisposições e, por ultimo, a perda do appetite diminuem a resistencias as doenças. Se formos obrigados a sacrificar estes dentes as permutas metabolicas offerecerão perniciosa consequencia no decurso da vida. " Os dentes sem hygiene constituem, sobretudo na infancia, uma fonte de infecção e uma verdadeira incubadora do bacillo da tuberculose. O dr. Clemente Ferreira, pediatra de renome na capital paulista e autor de valiosissimos trabalhos sobre a tuberculose no Brasil; assim se exprime respondendo a um dos quesitos formulados pelo illustrado professor porto-alegrense Cirne Lima: É ponto inconteste que em todas as idades a saude geral é tributaria do estado da bocca e do systema dentario, o qual repercute sobre toda a economia, perturbando o funccionamento do apparelbo digestivo, transtornando, o processo de assimilação e acarretando desordens e molestias serias para o lado dos diversos systemas e apparelhos. Os effeitos das infecções e das lesões buccaes fazem-se sentir em todas as regiões e tecidos, podendo as complicações dahi resultantes affectar gravemente a saude geral".

Na luta contra a tuberculose, diz o Dr. Guerini, em um estudo apresentado no VI Congresso Internacional Contra a Tuberculose: "Devemos lançar mão em primeiro logar das medidas e instituições tendentes a prevenir e curar as affecções dentarias. Se a tuberculose é um flagello para a humanidade, estas moléstias pela sua frequencia, e suas consequencias funestas tambem, o são igualmente, porquanto ellas não só predispõem à tuberculose rnas ainda a outras moléstias". O dr. Frederico Eyer, professor de clinica odontologica na-Universidade de Odontologia e Medicina do Rio de janeiro, a respeito dos dentes se expressa: "A conservação dos dentes deve ser uma preoccupação constante de todos nós. São importantissimas ás relações existentes entre o mào estado dos dentes e o estado de saude geral do individuo. As complicações das affecções dentarias em relação aos outros orgãos são de maxima importancia e multiplas como demonstraram eminentes scientistas, principalmente em relação ao ouvido, nariz, olhos garganta e outros orgãos. Entre as affecções dentarias pelas suas consequencias, chronicidade, rebeldia ás intervenções therapeuticas e tambem pela sua grande proporção de casos que se nos apresentam em nosso meio, releva mencionar a pyorrhea, que traz como maleficio minimo a queda prematuras dos dentes. Está claro que entre as graves consequencias da pyorrhea achamos temerario apresental-a como quiz Gallipe como causa efficiente do diabete. A deglutição porem, do pús nestes casos pela sua constancia e quantidade são factores preponderantes no maior coefficiente de cancros do tubo digestivo como demonstrou o dr. F. S. Steadmann que em 71.959 casos de cancros de tubo digestivo e seus annexos. encontrou em quasi todos a pyorrhea francamente declarada. Dos utillissimos artigos do illustrado redactor do "Brasil Odontolagico", sr. Luiz Hermanny Filho, extrahimos o trecho abaixo: "Citemos a autorisada opinião do celebre medico americano Charles H. Mayo, que declarou que o proximo grande passo na prevenção das doenças será dado pela profissão dentaria. "Ha mais a pesquizar na pequena area da bocca", affirma elle, quanto ás causas iniciaes de molestias, mesmo quando são devidas a uma mudança de nutrição, do que qualquer outro orgão do corpo. A sociedade moderna que cada vez mais anda preoccupada com coisas futeis precisa sair dessa apathia quasi criminosa contra a sua propria saude. E' necessario que ella deixe da ignorancia crassa em que se acha, sobre o valor dos dentes e em relação, á sua saude e acceite seguindo-os concenciosamente, os preceitos salutares da moderna sciencia odontologica. Assim como vae em busca dos institutos de beleza, das manicuras, enfim de todo esse regimento de habeis embelezadoras do nosso seculo, tornando-se verdadeira escrava dos mesmos, deve tambem, em primeiro logar, procurar o dentista, pelo menos duas vezes por anno, para o exame dos seus dentes. O dinheiro ahi gasto será certamente, mais proveitoso à sua saude. No seu proprio interesse, é necessario que a sociedade moderna, medite bem sobre as seguintes verdades: -Os dentes são orgãos eguaes a todos os outros e participes das condições e influencias organicas. Não é admissivel, portanto, que continuemos a consideral-os, como geralmente acontece, um apparelho distincto, simplesmente mecanico e divorciado do funccionamento geral. Jà è tempo para que esses importantes orgãos sejam encarados sobre o seu verdadeiro aspecto e que a sua relação com o resto do corpo seja dada séria attenção. E' necessario que nos aproveitemos dos beneficos conhecimentos postos à nossa disposição pela sciencia. Baseados em factos scientificos fundamentaes, sabe-se serem os dentes os unicos tecidos do corpo humano que, mesmo com vida não possuem a faculdade de se regenerarem. Todos os demais se refazem e atè as unhas nascem quando cortadas ou destruidas. Quanto ao dente, uma vez estragado, não póde de forma alguma restabelecer-se. A carie, apparentemente um simples mal, é, na sua marcha, egual a uma doença maligna, porque o dente nunca mais terá a restauração normal. Onde apparece não só ahi fica o defeito, como prosegue na sua marcha implacavel, argumentando sempre, até a perda do dente, com todas as suas consequencias. Para falar claramente as ca,ries dentarias são fócos de immundicie que (isto queremos deixar patente aqui) em nenhuma outra parte do corpo seriam tolerados. Nelles ficam restos de toda a sorte de alimentos, que, depois de duas horas - note-se bem - fermentam, apodrecem, causando máo cheiro (dahi em grande parte, o máo halito), transformando-se em elementos altamente prejudiciaes que formam um campo propicio ao desenvolvimento dos microbios da grippe, pneumonia, tuberculose e de outras doenças. Palavras do Professor Valerio da Universidade de Medicina do Rio de Janeiro: "Nos serviços de clinica cirurgica, que tenho frequentado, são factos que observo, quotidianamente: quando a limpeza da cavidade bucco-dentaria è executada com rigor, antes e durante as intervenções cirurgicas, as sequencias operatorias são normaes; do contrario ou sobrevem a morte, particularmente, nas intervenções gastro-intestinaes ou o periodo post-operatorio é entrecortado de accidentes graves e prolongados." Nestes ultimos annos, numerosos scientistas vêm affirmando pela observação de factos positivos, que a falta de tratamento dos dentes deternmina a formação dos focos infectantes, os quaes, por sua vez, podem servir de vehiculos da tuberculose, de certas psychoses, rheumatismos, ulceras gastricas, perturbações da vista, do ouvido, do naso-pharinge, do coração e de perturbações endocrinicas, como o mal de Besedoro. A respeito das enfermidades nervosas diz o Dr. Barrere: "Entre as varias enfermidades nervosas, cuja origem se attribue aos micro-organismos buccaes, podemos citar em primeiro logar, a neuritis, os symptomas nervosos da anemia, a epilepsia, ele. As alterações dentarias podem produzir urna multidão de inffecções nervosas, seja por via reflexa ou como resultado de defeituosa elaboração mecanica dos alimentos. Depois de haver examinado a dentadura de 40 surdos-mudos, o dr. Jansen, affirma que todos apresentavam mal posições dentadas. Este resultado foi confirmado por uma observação de caracter analogo realizada com o ESQUIAGRAPHO, apparelho que serve para reconhecer todas as incorreções da occlusão buccal. Applicado em 58 pessoas, ficou comprovado que todas aquellas que possuiam os dentes em anomala posição padeciam desordens nervosas. Os symptomas variam entre simples cephalgias e accessos de epilepsia até a insomnia e demencia. O mesmo auctor accrescenta que de 8 casos tratados 5 se curaram logo depois de corrigida a mal posição dentaria. Os atacados de pyorrhea, pela ingestão continua do pús apresentam desde os symptomas da dyspepsia ate a neurasthenia profunda.


Artigo relacionado: A Criança e os Dentes, publicado em 1957